Lê Almeida

Lê Almeida

  • Informações da Banda

    Lê Almeida

    Lê Almeida

    Guitarras altas e saturadas podem soar deslocadas junto com melodias pop, mas não para o carioca Lê Almeida. Com dois EPs e alguns singles na discografia, Lê vem destrinchando guitarras saturadas tanto nas gravações quanto nos shows — que a partir de 2009 passaram a ter bastante freqüência, rodando por cidades como Juiz de Fora, São Paulo, Brasília, Cruzeiro, Belém, Maceió e Belo Horizonte.

    Lê é fundador da Transfusão Noise Records, selo em que produz grande parte dos discos e toca em algumas bandas, além de trabalhar com colagens em diversas capas. A partir do single Fique Bem Com Dropes Halls, de 2007, o músico começou a lançar as primeiras gravações lo-fi creditadas em seu nome (anteriormente usava o nome Coloração Desbotada). Ainda em 2007, Loufailândia foi lançado e muito bem recebido em alguns meios especializados. O portal Senhor F escreveu:
    O disquinho chegou na redação no final do ano, mas a tempo de entrar na lista de melhores EPs de 2007 para Senhor F. A posterior - e viciante - audição de 'Loufailândia', de Lê Almeida, desvendou um brilhante compositor por trás das canções "loufai"/noise. Mais do que apenas um EP, as 8 pérolas do gênero merecem a atenção de quem se liga em música instigante, além das obviedades em busca da fama e renda. Lê Almeida é carioca, da Baixada Fluminense, onde prolifera uma rica cena "indie").
    Foi a partir de Loufailândia que Lê passou a integrar também o cast da lendária Midsummer Madness. No fim de 2007, Lê começou a fazer apresentações ao vivo acompanhado por amigos de outras bandas. Em 2008 saiu o single Querida Deal (com referência a Kim Deal, baixista do Pixies e líder do Breeders) e aconteceu o primeiro show fora do Rio (Araraquara/SP).
    2009 foi um ano agitado. Em maio saiu o EP REVI, que meses depois ganhou uma edição em vinil pela Vinyl Land (prensado na Inglaterra e com distribuição dentro e fora do país). Sobre REVI:
    "Lê Almeida é um dos segredos mais bem guardados da Baixada Fluminense. Formado em estética lo-fi e criado sob a cultura faça-você-mesmo, como diz uma de suas apresentações, Lê grava em seu quarto-estúdio canções que podem grudar na pele como a marca do primeiro amor. “Revi” compila os 17 minutos mais lúdicos que você irá ouvir em 2009. São oito músicas – três com menos de 1m03s – que vão devorar o seu coração". Scream and Yell

    "O carioca Lê Almeida fez um daqueles rocks pegajosos, que dá vontade de apertar uma tecla "repeat" eterna, se existisse. E nem precisou de muito: fez em seu quarto mesmo, comprovando que lo-fi nem sempre é sinônimo de música de baixa qualidade". Sobre a faixa Nunca Nunca - Rolling Stone Brasil

    "Fiel à cartilha do mestre Robert Pollard e aos timbres de guitarra dos anos 90, o carioca não demora mais do que um minuto e meio para desfiar refrões que grudam como enxertos de memória na cabeça do ouvinte. Se gemas mal polidas como “Nunca Nunca”, “Curso de Datilografia” e “Canção pro Beto Guedes” não primam pelo apuro estético, ganham de goleada no quesito sinceridade e diversão. Para entrar nos anais do mundinho indie". O Inimigo

    "Qualquer músico, iniciante ou renomado, deveria sentir inveja de Lê Almeida. Mesmo adepto do lo-fi (gravações com poucos recursos de estúdio) de bandas como Guided By Voices, Elliott Smith e Pavement no ínicio da carreira, conseguiu fazer um disco muito bem gravado quase todo dentro do seu quarto, com o pouco que tinha à disposição. Ok, tá cheio de artista por aí hoje em dia fazendo isso, principalmente eletrônicos e meninas de 15 anos com violão na mão. Mas e quando o sujeito coloca riff sujos de guitarra em rocks como "Eu Não Vou Acreditar", "22 Anos" e principalmente "Nunca Nunca"? Fazer isso bem, poucos fazem e Lê Almeida é um deles". La Cumbuca

    "Lê Almeida é um peixinho, nadando a favor da corrente nas águas turbulentas da Baixada Fluminense. Músico, produtor e empreendedor, ele está se desenvolvendo como pode, levando no DNA os genes do “faça você mesmo”. Lê usa. E de forma inusitada, bem lo-fi" Rio Fanzine (O Globo)


    Ainda em 2009, Lê Almeida produziu o tributo à banda norte-americana pioneira no lo-fi Guided By Voices, Don't Stop Now, com 31 bandas de todo o Brasil.

    O ritmo das apresentações foi aumentando — Lê passou por Juiz de Fora (Café Muzik), Belo Horizonte (A Obra), Brasilia (Café Balaio), Maceió (Festival Maionese), São Paulo (Livraria da Esquina), Belém (Festival Se Rasgum) e diversas festas pelo Rio, além de palcos consagrados como Circo Voador.

    A faixa Nunca Nunca, de REVI, ganhou um videoclipe muito bem produzido pela Inhamis Filmes, que passou a circular com frequência na MTV, dando boa visibilidade tanto ao Lê quanto à sonoridade lo-fi, tão distante das TVs ultra hi-fi destes tempos modernos.

    Além da carreira solo, Lê vem produzindo alguns discos de outras bandas em que toca, como Sinfo Noise Clube da Coloração Desbotada, Hortelã Intermitente da Tape Rec, Vol.1 da Babe Florida. Algumas produções do Lê junto com Paulo Casaes (sócio na Transfusão e metade do projeto pop-experimental Fujimo) tiveram boa repercussão, ajudando a perpetuar as gravações caseiras e lo-fi tanto no Brasil quanto fora — caso da mineira Top Surprise, com o elogiado EP Everything Must Go.


    O próximo registro começou a ser gravado em meados de 2009, de forma tranqüila, entre shows e produções de discos alheios. Como surgiram muitas canções, veio a idéia do primeiro disco cheio, e o nome Mono Maçã se impôs desde o começo do projeto. Como prévia do álbum, no final de 2010 saiu o single Transporpirações (com a faixa-título e duas outras canções que não entrarão no disco).

    "Lê Almeida toca um contagiante power pop em pequenas explosôes de melodias ensopadas de fuzz. A sólida progressão de acordes lembra o Nirvana, mas os vocais são menos punk agressivo e mais indie rock dos anos 90, resultando em músicas que soam como o filho latino americano do Breeders ou a resposta brasileira ao Guided by Voices. Arquive Lê Almeida como "novo favorito" e prepare-se para desgastar o botão do Play" Los Grillos Collective sobre o single Transporpirações.

    Em abril de 2010, o EP Eu eu mesmo e os vários beijos cafeinados, da Coloração Desbotada, lançado originalmente em 2005 como primeiro disco da Transfusão, foi relançado (com várias sobras e demos) em K7 via Pug Records, sendo também o debute do selo irmão sediado em Juiz de Fora e com distribuição fora do pais. Na mesma época a Transfusão ganhou alguma repercussão nacional em meios televisivos como TV Brasil, MTV, SBT e Multishow, e em publicações como Isto É, O Globo, Correio Brasiliense, fww MAG!, Revista Vice e outras.

    Também co-produzido por Paulo Casaes, Mono Maçã tem 23 faixas e sai por quatro selos diferentes. A Weepop Records lançou uma versão reduzida com 12 faixas em um CD 3'' na Inglaterra ainda no fim de 2010, e as outras versões são em CD via Transfusão e Midsummer e em LP 12'' via Vinyl Land / Transfusão / Midsummer (prevista para o segundo semestre de 2011).

    Ainda em 2010 veio o primeiro EP da Babe Florida (coletivo com membros de diversas bandas da Transfusão organizado pelo Lê):

    "Vol.1 é relativamente rápido mas ainda assim deixa uma marca em você. A maioria das canções aqui nem mesmo ultrapassa a marca de um minuto, mas isso não importa porque são tão curtas quanto doces". Cactus-Mouth (EUA)

    O EP também rendeu um videoclipe para a faixa Pé de Amoras, que passou a circular na MTV com seus 1:22 de fragmentos psicodélicos sobre um dia ensolarado de skate. A mesma faixa do clipe também saiu em uma compilação em K7 chamada I Know Why They Call It Pop via Rok Lok Records (EUA).


    Em abril de 2011 a Transfusão lança sua primeira compilação em vinil, chamada Coração Transfusionado, que reúne seis bandas em um disquinho 7'' com arte gráfica por Lê Almeida e pelo brasileiro radicado em Paris Laurindo Feliciano. O disco foi prensado na Inglaterra em uma parceria com a Vinyl Land.

    A partir do mês de abril de 2011, Lê começa a turnê da fase Mono Maçã, passando por São Paulo, Juiz de Fora, Belo Horizonte, Valença e Cruzeiro.



    Integrantes:
    Lê Almeida
    João Casaes
    Bigú Medine
    Joab Régis

    Downloads: Mapa do Palco

    Telefone: (21) 9425-1630 / 2752-8123
    E-mail: lealmeida60@bol.com.br

    Origem: Rio de Janeiro - rj (Brasil)

    Residência: Rio de Janeiro - rj (Brasil)

    Estilo
    Indie roque de guitarra

    Redes Sociais

  • Músicas

  • Vídeo